quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Prosopopeia


Acabei de escrever sobre um dilema...
E utilizei muitas cores...
Lá por ser sombrio não quer dizer que não tenha cor.
O que importa é que distinga a dualidade,
que nos convide à reflexão.
 
Escrevi uma prosopopeia,
um discurso veemente,
um murro visual, que qualquer um entende...
ou penso eu que entende...
que isto de pensar pelos outros
também tem os seus quês...
e os seus porquês...
mas como, considero eu, que é tão simples
nem me passa pela cabeça que não entendam...
só se não quizerem entender...
e, afinal,  vendo bem, talvez haja quem
não queira entender...
ou não lhe interesse entender...
que essa coisa do interesse também tem muito que se lhe diga..
no melhor desinteresse cai a nódoa...
a gente sabe que assim é, há muito, talvez desde sempre...

Mas, e afinal, a dualidade do dilema?
Que se lixe !
Passa a dividir-se em duas unidades
e cada um utiliza uma como quizer...


(Imagem: pintura em acrílico s/tela)

Enviar um comentário